14/05/2015 iGUi Ecologia 0Comment

ANIMAIS DA RESERVA BIOLÓGICA DE ATOL DAS ROCAS

atoba marrom Diário de BordoA Reserva Biológica de Atol das Rocas é reduto de grande diversidade de espécies. Estima-se que cerca de 150 mil aves vivam na Reserva, sendo a maior colônia de aves marinhas do Brasil. Há espécies que utilizam Atol para reprodução, como Trinta-réis-do-manto-negro (Onychoprion fuscata), Viuvinha-marrom (Anous stolidus), Viuvinha-negra (Anous minutus), Atobá mascarado (Sula dactylatra) e Atobá marrom (Sula leucogaster). Já outras usam Rocas como ponto de descanso e alimentação, como o atobá-do-pé-vermelho (Sula sula) que pode permanecer durante sua juventude e os maçaricos que veem descansar e acumular energia por serem aves migratórias.

Além das aves também encontramos em terra caranguejos. As duas espécies mais importantes são a Johngarthia lagostoma e a Grapsus grapsus (Aratu), ambas endêmicas de ilhas oceânicas. São animais onívoros e detritívoros que se alimentam de restos de ovos de aves, aves e filhotes de tartarugas.caranguejos Diário de Bordo

Na fauna marinha aquática encontramos abundante quantidade de peixes, sendo que até o momento foram documentadas 107 espécies. Dentre elas podemos citar o Sargentinho (Abudefduf saxatilis), Caraúna (Acanthurus SP.), Guarajuba (Carangoides bartholomaei), Donzela-de-rocas (Stegastes rocasensis), Peroá rei (Aluterus scriptus) e Mariquitas (Holocentrus adscensionis). Também são encontradas raias e tubarões, dentre eles o Limão (Negaprion brevirostris) e o lixa (Ginglymostoma cirratum).

tubarao limao Diário de BordoAs esponjas dominam o fundo do mar em alguns pontos e até 2012 mais de 70 espécies foram registradas. Elas são importantes por servirem de abrigo e local de reprodução para diversos invertebrados. Também é o principal alimento das tartarugas-de-pente (Eretmochelys imbricata) e para alguns peixes, como o Frade.

Também estão presentes algas, cnidários (anêmonas e corais), crustáceos (camarão, caranguejo ermitão e lagosta), moluscos (polvos), equinodermos (ouriços do mar), anelídeos (poliquetas) dentre outros.

O trabalho continua… já microchipamos mais de 100 animais…