20/03/2016 iGUi Ecologia 0Comment

Aproveitando o clima da páscoa, falaremos no nosso sétimo diário de bordo, um pouco sobre os ninhos e ovos das tartarugas-verdes (Chelonia mydas) aqui do Atol das Rocas.

Como já dissemos em outro diário de bordo, ao sair do mar para encontrar um local para nidificar, a tartaruga deixa um rastro bem parecido com o de um pneu de um trator, o que nos direciona ao seu encontro, onde podemos acompanhar um momento incrível, que é sua desova.

Após a tartaruga encontrar um local que julga adequado para a desova, ela inicia um movimento com as nadadeiras anteriores para formar uma “cama” medindo cerca de 2 metros de diâmetro, antes de iniciar a confecção do ninho propriamente dito. Muitas camas podem ser construídas até que a tartaruga marinha decida qual é a mais apropriada para ela fazer seu ninho. No dia 23 desse mês, ao fazer nosso monitoramento noturno encontramos 5 camas feitas sem que houvesse desova.

Depois de feita a cama, a tartaruga passa a realizar movimentos parecidos com uma pá, com as nadadeiras posteriores, a fim de fazer o ninho em formato semelhante a uma pêra, com cerca de meio metro de profundidade. Apesar de todo esse esforço, também já observamos ninhos abandonados sem que a tartaruga desovasse.

Quando finalmente desovam, as tartarugas botam em média 120 ovos de formato esférico, com a casca flexível, recobertos por um muco que protege os ovos a não se quebrarem quando caem no ninho.

A partir de então, os ovos ficam encubados nos ninhos por um período que varia de 45 a 60 dias, quando finalmente os filhotes nascem.

A variação entre o sexo dos filhotes depende da temperatura dos ninhos, quando o ninho recebe mais calor a probabilidade de ter mais fêmeas é maior e vice-versa.

Alguns ovos não se desenvolvem e os chamamos de “gorados”. Esses ovos são importantes matrizes de estudo, principalmente para contaminantes ambientais. Neles podemos verificar, por exemplo, se algum contaminante passou da mãe para o filhotes!

Atualmente no atol, estamos na expectativa do nascimento de muitas tartaruguinhas, mas isso será um próximo diário de bordo!