28/04/2016 iGUi Ecologia 0Comment

No dia 28 de abril é comemorado o dia da Caatinga. Caatinga (do tupi: ka’a [mata] + tinga [branca] = mata branca) é o único bioma (conjunto de vida, vegetal e animal, constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e identificáveis em escala regional, com condições geoclimáticas similares o que resulta em uma diversidade biológica própria) exclusivamente brasileiro, ou seja grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta.

Este nome decorre da paisagem esbranquiçada apresentada pela vegetação durante o período seco: a maioria das plantas perde as folhas e os troncos tornam-se esbranquiçados e secos. A caatinga ocupa uma área de cerca de 850.000 km², cerca de 10% do território nacional, englobando de forma contínua parte dos estados da região Nordeste do Brasil e parte da região Sudeste do Brasil. Destaca-se por ser o mais fragilizado dos biomas brasileiros.

O uso insustentável de seus solos e recursos naturais ao longo de centenas de anos de ocupação, associado à imagem de local pobre e seco, fazem com que a caatinga esteja bastante degradada. Entretanto, pesquisas recentes vêm revelando a riqueza particular do bioma em termos de biodiversidade e fenômenos característicos.

Em 2000 foram propostas oito eco regiões no bioma Caatinga:

• Complexo do Campo Maior: localizado quase integralmente no Piauí e sudoeste do Maranhão. Consiste nas regiões que sofrem inundações periódicas nas planícies sedimentares.
• Complexo do Ibiapaba-Araripe, composto pelas Chapadas da Ibiapaba e do Araripe.
• Depressão Sertaneja Setentrional, desde a fronteira norte de Pernambuco, estende-se pela maior parte dos Estados da Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará e prolonga-se até uma pequena faixa ao norte do Piauí. A principal característica desta eco região são as chuvas irregulares ao longo do ano. É a área mais seca da caatinga.
• Planalto da Borborema: abrange partes do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. O relevo movimentado e altitudes superiores delimitam a região.
• Depressão Sertaneja Meridional: corresponde à maior parte do bioma. Representa a paisagem típica do sertão nordestino. Distingue-se da Depressão Sertaneja Setentrional (norte) por apresentar maior regularidade de chuvas e maior ocorrência de corpos de água temporários.
• Dunas do São Francisco: localiza-se no centro-oeste do bioma. É caracterizado pelas dunas de areias quartzosas (cuja origem está ligada à ação dos ventos na orla litorânea).
• Complexo da Chapada Diamantina: localiza-se no centro-sul do bioma e corresponde à parte mais alta da caatinga. É a região de menor temperatura. Apresenta ilhas de campos rupestres nas partes mais altas, cercadas de caatinga nas regiões mais baixas.
• Raso da Catarina: localiza-se no centro-leste do bioma. Caracteriza-se pela caatinga arbustiva de areia muito densa.