11/08/2015 iGUi Ecologia 1Comment

A utilização da energia eólica representa uma série de vantagens em relação as energias tradicionais, em função do seu maior desenvolvimento. Sua exploração comercial teve início há mais ou menos na década de 70 quando ocorreu a crise do petróleo  e os países europeus começaram a investir em outras formas de energia. Depois de várias tentativas e muita pesquisa, foi na Dinamarca, que a primeira turbina eólica para fins comerciais foi ligada à rede elétrica pública. Atualmente, são mais de 30 mil turbinas eólicas em operação espalhadas pelo mundo. Com grande repercussão a Europa se mostrou interessada e estabeleceu metas para ampliação de novas instalações a fim de economizar energia em todos os países.

Esse mecanismo funciona quando o vento gira uma hélice gigante conectada a um gerador que produz eletricidade. Quando vários mecanismos como esse – conhecido como turbina de vento – são ligados a uma central de transmissão de energia, temos uma central eólica. A quantidade de energia produzida por uma turbina varia de acordo com o tamanho das suas hélices e do regime de ventos na região em que está instalada. O Brasil possui um dos maiores potenciais eólicos do planeta e o custo da geração de energia através dos ventos é de cerca de US$70 a US$80 por MWh, o que a torna competitiva com a energia nuclear e termoelétrica. Só no nordeste brasileiro potencial eólico existente é de 6.000 MW, sendo a região brasileira que apresenta o maior potencial.

As principais vantagens da energia eólica

  • É inesgotável;
  • Não emite gases poluentes e não gera resíduos;
  • Diminui a emissão de gases de efeito de estufa (GEE).
  • Os parques eólicos são compatíveis com outros usos e utilizações do terreno como a agricultura e a criação de gado;
  • Criação de emprego;
  • Geração de investimento em zonas desfavorecidas;
  • Reduz a elevada dependência energética do exterior;
  • Poupança devido à menor aquisição de direitos de emissão de CO2 por cumprir o protocolo de Quioto;
  • É uma das fontes mais baratas de energia podendo competir em termos de rentabilidade com as fontes de energia tradicionais.
  • Os aerogeradores não necessitam de abastecimento de combustível e requerem escassa manutenção, uma vez que só se procedem à sua revisão em cada seis meses.
  • Excelente rentabilidade do investimento. Em menos de seis meses, o aerogerador recupera a energia gasta com o seu fabrico, instalação e manutenção.

Principais desvantagens da energia eólica

  • Nem sempre o vento sopra quando a eletricidade é necessária, tornando difícil a integração da sua produção no programa de exploração;
  • Provoca um impacto visual, principalmente para os moradores em redor;
  • Impacto sobre as aves do local: principalmente pelo choque destas nas pás;
  • Impacto sonoro: o som do vento bate nas pás produzindo um ruído constante. As habitações mais próximas deverão estar no mínimo a 200m de distância.

Filme de como é montado um aerogerador: