26/02/2018 iGUi Ecologia 0Comment

Quando entramos em um museu percebemos que ele está repleto de artefatos históricos feito de pedra, cerâmica e outros materiais resistentes, pois esses materiais conseguiram resistir a centenas ou milhares de anos expostos à chuva, vento e sol. É raro encontrar materiais orgânicos como roupas e outros objetos feitos de tecido, couro ou madeira. Entre as circunstâncias que permite a sobrevivência desses materiais uma é bem incomum: o congelamento.

As geleiras detêm grande parte desses materiais, mas até então era difícil encontrá-los por que elas não derretem tão facilmente, infelizmente à medida que as mudanças climáticas aceleram, esses fenômenos estão ocorrendo com mais frequência. Isso aconteceu na Noruega, um grupo de arqueólogos recuperou mais de 2000 artefatos das bordas d de uma geleiras. Foram descobertos milhares de objetos que datam de 4000 anos A.C. incluindo esquis e flechas de madeira, espadas vikings, roupas e crânios de cavalos. Os pesquisadores acreditam que com esses objetos eles poderão entender melhor a história da Escandinávia (região que abriga os países Noruega, Suécia e Finlândia).

A Noruega não é o único lugar onde artefatos estão emergindo do gelo devido às mudanças climáticas. Em 2015 corpos de soldados perdidos durante a 1ª Guerra Mundial foram encontrados nos Alpes Suíços e múmias emergiram nos Andes. Existem inúmeros impactos negativos da mudança climática, mas a recuperação desses artefatos pode ser um impacto positivo, porém inesperado pois essas descobertas ajudam os pesquisadores a aprender mais sobre o nosso passado.