04/01/2018 iGUi Ecologia 0Comment

Quando vamos para a praia, principalmente no verão, uma das coisas imprescindíveis é o uso de protetor solar. A recomendação é sempre a mesma: cada vez que você entra na água você tem que passar novamente porque uma parte desse protetor acaba saindo. Agora imaginem em uma praia lotada no verão a quantidade de protetor que sai na água, será que isso prejudica de alguma forma os seres de vida marinha? Alguns estudos afirmam que sim e principalmente os recifes de corais são afetados negativamente por algumas substâncias presentes nos protetores solares.

Primeiro vamos entender o que é um recife de coral: os corais são compostos de pequenos animais de corpo macio, chamados de pólipos. Eles pertencem a um grupo chamado “Cnidaria”, que inclui espécies como anêmonas marinhas e águas-vivas. Junto com os pólipos vivem as algas simbióticas, chamadas zooxanthellae, elas vivem dentro dos pólipos de corais e fornecem aos corais energia alimentar através do processo de fotossíntese. Estas algas dão ao coral suas cores vibrantes, como verde, marrom ou laranja. Os pólipos de corais “pedregosos” usam cálcio da água do mar para fabricar esqueletos de pedra calcária. As gerações de pólipos criam copos adjacentes que resultam em colônias de forma fantástica que se assemelham a flores, montanhas ou galhos de animais. Quando muitas colônias de várias espécies crescem próximas umas das outras, elas criam as fortalezas vivas que chamamos de recifes de corais.

Coral

Os recifes de corais estão entre os ecossistemas mais biologicamente diversos do mundo, e até foram chamados de “pontos hotspots da biodiversidade”. Eles cobrem menos de 1% do oceano, mas estima-se que quase um milhão de espécies de peixes, invertebrados e algas vivem dentro e ao redor dos recifes do mundo.

Pesquisadores que testam os efeitos do protetor solar nos corais explicam que os produtos químicos no protetor solar podem despertar os vírus dos corais. O coral então fica doente e expulsa suas algas vivas. Sem essas algas, os corais ficam brancos e muitas vezes morrem. Outro estudo descobriu que um produto químico comum em muitas loções e cosméticos para proteção solar é altamente tóxico para corais juvenis e outras vidas marinhas: a Oxybenzona, ou BP-3 e pode causar quatro principais efeitos tóxicos no início do desenvolvimento dos corais: aumento da suscetibilidade ao branqueamento, dano do DNA, crescimento anormal do esqueleto e grandes deformidades.

Para diminuir esses efeitos podemos utilizar protetores solares sem a Oxybenzona bem como utilizar mais roupas e chapéus com fator de proteção solar, diminuindo assim a quantidade de produtos químicos utilizadas e despejadas na água.

Fique consciente nesse verão, o meio ambiente agradece!!

Branqueamento corais