15/03/2017 iGUi Ecologia 0Comment

Um cenote é uma depressão no solo característico de relevos cársticos, isto é um tipo de relevo geológico caracterizado pela corrosão das rochas, que leva ao aparecimento de uma série de características físicas, tais como cavernas. O cenote é formado pela dissolução química de rochas calcárias abaixo da superfície e está especialmente associado com a Península de Yucatán do México. Devido à sua composição geológica, a Península de Yucatán reage como uma espécie de esponja, quando chove, por absorver toda a umidade. A água que se infiltra através do solo começa a se dissolver, abrindo caminho para as cavernas que podem ser parcialmente ou completamente inundada, e quando uma dessas cavernas colapsa devido à erosão, os cenotes nascem.

Formados há mais de 14 mil anos, os cenotes eram a única fonte de água na floresta para os povos maias, pois nessa região tem poucos rios e poucas lagoas que na maioria das vezes são pantanosas. Eram considerados por eles espaços sagrados para a comunicação com os deuses e porta de entrada para um outro mundo onde viviam deuses e espíritos.

Existem 4 tipos de cenotes, classificados de acordo com sua idade:

– Cenotes abertos: Caracterizado pela sua forma cilíndrica, os cenotes abertos destacam-se a flora espetaculares que podem ser admiradas em seus muros altos e formações rochosas.

– Cenotes antigos: É muito comum que cenotes antigos, para a sua idade, estão totalmente expostos ao ar livre e imersos na vegetação da selva maia. São semelhantes a lagoas.

– Cenotes semi-abertos: Cenotes semi-aberto geralmente escondem a sua superfície da água dentro de uma caverna que permite o acesso parcial da luz solar.

– Caverna cenotes: esses cenotes estão localizados dentro de cavernas onde o povo maia praticado uma série de cerimônias tradicionais. Podem estender a vários quilômetros abaixo da terra, e até mesmo se conectar a outros cenotes e cavernas da região.