25/04/2017 iGUi Ecologia 0Comment

A chuva ácida pode ser definida como uma precipitação pluviométrica (chuva) com presença de gases poluentes formando compostos ácidos. Existe a escala de pH que varia de 0 a 14. Quando os valores são abaixo de 7 temos substâncias ácidas, quando possuem pH igual a 7 são neutras e acima de 7 são básicas. A água da chuva tem pH de 5,5 ou seja, ela é ácida, porém isso não traz nenhum dano ao meio ambiente, quando falamos de chuva ácida estamos falando que a mistura com esses gases poluentes abaixa o pH da água para abaixo de 5, bastante ácido que pode afetar construções, plantações e o meio ambiente de maneira geral. Vegetação com a chuva ácida

A formação de chuvas ácidas é um problema moderno que teve início após a Revolução Industrial, quando a queima de combustíveis fósseis teve um aumento considerável aumentando a emissão de gases tóxicos na atmosfera. A queima de combustíveis fósseis libera diversos gases entre eles o dióxido de carbono, o óxido de nitrogênio e o dióxido de enxofre. Esses gases reagem com as partículas de água presentes nas nuvens e formam o ácido nítrico e o ácido sulfúrico. Quando caem em forma de chuva ou neve, estes ácidos provocam danos no solo, plantas, construções históricas, animais marinhos e terrestres etc.

Entre os transtornos gerados pela chuva ácida estão a destruição de lavouras e de florestas, modificação das propriedades do solo, alteração dos ecossistemas aquáticos, contaminação da água potável, danificação de edifícios, corrosão de veículos e monumentos históricos, etc. De acordo com o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), cerca de 35% dos ecossistemas do continente europeu foram destruídos pelas chuvas ácidas.

Para reduzir esse problema é necessário reduzir o consumo de energia e assim reduzir a queima de combustíveis fósseis, implantar um sistema eficaz de tratamento de gases industriais e utilizar energia limpa como por exemplo energia solar, eólica entre outras.

E você está fazendo a sua parte?