20/12/2018 iGUi Ecologia 0Comment

Vários fatores influenciam na coloração dos animais, alguns animais possuem uma coloração para se camuflar, outros para chamar a atenção do sexo oposto, outros para avisar aos predadores que são venenosos etc. Alguns animais possuem uma coloração ou padrão de cor tão marcantes que quando surgem na natureza um indíviduo com a coloração diferente do normal eles viram até notícia, ou atração. Dentre as anomalias que mudam a cor dos animais o albinismo é a mais conhecida, mas ela é facilmente confundida com o leucismo, ambas conferem a cor branca aos animais. E o melanismo seria o oposto destas duas. Vamos explicar melhor cada uma dessas anomalias abaixo:

Beija Flor Albino

Albinismo: é uma anomalia congênita que consiste na deficiência total ou parcial do pigmento de melanina na pele, nos olhos e no cabelo, causada por uma ausência ou deficiência de uma enzima envolvida na síntese de melanina. O albinismo é o resultado de uma herança autossômica recessiva (é caracterizada por atingir homens e mulheres na mesma proporção e induzida pelo gene recessivo originado do cruzamento dos pais do indivíduo, sendo que a doença só se manifesta se existir 2 genes recessivos) e é conhecido por sua incidência em todos os vertebrados, incluindo os humanos. O albinismo está associado a ausência total de pigmentação aumenta muito a suscetibilidade desses indivíduos a queimaduras e tumores de pele. Uma das características que distinguem o albinismo do leucismo é que o animal albino possui olhos vermelhos, azuis ou muito claros já que a ausência de melanina atinge também os olhos.

Leucismo: é uma peculiaridade genética, devido a um gene recessivo na maioria dos casos. Pavão com Leucismo O leucismo dá uma cor branca animais que normalmente exibem uma cor diferente. Podendo se apresentar de maneira parcial ou total, com apenas algumas partes do corpo do animal com a coloração branca. Diferente do albinismo os olhos mantêm a pigmentação normal e não são excessivamente fotossensíveis. Pelo contrário, eles parecem ser ligeiramente mais resistentes ao calor do que os indivíduos normais, porque a cor branca permitiria a maior reflexão da radiação incidente, reduzindo assim a absorção térmica.

Melanismo: é um fenômeno caracterizado pela produção excessiva de melanina, Peixe Palhaço com Melanismo que tem como consequência animais de pele ou pelagem escurecidas, isto devido a mutação genética. O melanismo ocorre no indivíduo, criando áreas de excessiva pigmentação (afetando a pele, penas ou pelos). Também pode ocorrer um melanismo parcial quando manchas ou listras negras características de determinada espécie são anormalmente maiores, mais largas e mais escuras.