17/11/2020 iGUi Ecologia 0Comment

A cidade de Montreal, a maior cidade da província de Québec no Canadá, terá duas pontes feitas de garrafas de vidro recicladas até 2021. As pontes serão construidas na Ilha das Freiras utilizando-se 70 mil garrafas de vidro. A ideia foi considerada uma ideia de vanguarda quando o assunto é reciclagem, arquitetura e engenharia!

Montreal é considerada cidade exemplo, pois luta para reduzir os efeitos das mudanças climáticas, sendo que desde 2011 a cidade adiciona pó de garrafa de vidro em seus pavimentos.

Mas os canadenses eliminaram 25 milhões de toneladas de resíduos em 2018, a maioria dos quais está depositada em um aterro sanitário. Às vezes, até mesmo a reciclagem acaba em aterros sanitários, sendo que de acordo com a Recyc-Québec, apenas 28% do vidro quebequense tentou reciclar em 2018 foi realmente reciclado. Porém os 72% restantes são encaminhados para o aterro sanitário.

Então por que não juntar o útil ao agradável? Por que não tentar utilizar esse vidro fazendo pontes? Essa foi a ideia que o designer e engenheiro Étienne Cantin Bellemare teve a partir de uma pesquisa realizada pela Universidade de Sherbrooke, intitulada no “Novo Concreto de Vidro de Ultra-Alto Desempenho” (DOWNLOAD).

O concreto de ultra-alto desempenho (UHPC) é definido mundialmente como concreto com propriedades mecânicas, ductilidade (representa o grau de deformação de um material) e durabilidade superiores. Um UHPC típico é composto de cimento, pó de quartzo (QP), sílica ativa (SF), areia de quartzo (QS) e fibras de aço. Embora o UHPGC possa ser projetado com menos cimento, SF, QP e QS do que o UHPC típico, ele ainda contém fibras e uma mistura redutora de água de alto alcance. O UHPGC pode ser produzido com baixa relação de aglutinante de água, mas como as partículas de vidro têm absorção zero, suas propriedades reológicas (comportamento deformacional e do fluxo de matéria submetido a tensões) permitem que seja praticamente autocolante.

A ideia do projeto surgiu em 2017, quando começaram a estudar a integração do pó de garrafa de vidro em grande escala, sendo a Ponte Darwin na Ilha das Freiras o projeto piloto. Ao todo, as pontes conterão cerca de 10% de vidro reciclado finamente moído, o que não é bom apenas para o meio ambiente, mas também para a resistência das pontes.

Agora, 70.000 garrafas de vinho ganharão uma segunda vida ao serem misturadas com cerca de 40.000 kg de cimento!

Uma ideia inovadora e tomara que essa ideia se espalhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *