22/02/2017 iGUi Ecologia

Na escola sempre nos ensinaram que a água é incolor e sem cheiro. A última qualidade está certa, a água é pura e destilada, mas a primeira é simplesmente incorreta. Infelizmente esse erro vem sendo repetido de geração em geração, e todos, absolutamente todos os livros se equivocam neste ponto. De acordo com um cientista da Universidade de Portland (Oregon, EUA), Enrico Uva, a água é azul, e não transparente.  A maioria das pessoas pensam na água como transparente, como olhamos ela em um copo de água. Em um copo de água não conseguimos visualizar, mas em áreas amplas, sim como tonalidades…

17/02/2017 iGUi Ecologia

A maioria das ondas se formam a partir do sopro do vento na superfície do mar. O vento bate na água e causa uma ondulação composta de pequenas ondas entre 1 e 2 cm que são chamadas de ondas capilares. Quanto mais veloz e durável for o vento, maior será a altura da onda. Se a ondulação formada ainda for pequena e o vento parar de soprar, as ondas somem com ele. Agora, se o vento continuar, essa ondulação vai ficando mais alta, mais comprida e mais rápida até formar as ondas que conhecemos. E, mesmo que o vento pare,…

15/02/2017 iGUi Ecologia

Em meados do século 19 e por todo o século 20 o homem utilizou ensinamentos de diversos campos para manipular os processos naturais e assim incrementar a produção agrícola. Com isso ocorreram extraordinários ganhos de produtividade e redução dos preços. Porém os efeitos negativos também foram sentidos: degradação do solo, desperdício e poluição da água, perda de diversidade genética e poluição ambiental. Na década de 60 começaram os questionamentos sobre preservação dos recursos naturais, porém sem interferir na produtividade dos alimentos. Apesar da palavra agroecologia ter sido utilizada a primeira vez em 1928 pelo agrônomo russo Basil Bensin, só depois…

08/02/2017 iGUi Ecologia

A onça-pintada, também conhecida como jaguar, é o maior felino do continente americano e o 3º maior do mundo, atrás apenas do tigre e do leão. Ela tem esse nome por que possui pelagem amarelo-dourado com pintas pretas na cabeça, pescoço e patas. Nos ombros, costas e flancos tem pintas formando rosetas que têm, no seu interior, um ou mais pontos. Também pode acontecer uma variação melânica em que no lugar da pelagem amarelo dourado ela possui a pelagem preta e observando-se atentamente, as rosetas também são visíveis. Podendo pesar até 158 kg e medir até 1,85 de comprimento, esse…

03/02/2017 iGUi Ecologia

Grande parte das plantas que conhecemos, e comemos, possuem flores e frutos. O fruto de uma planta é formando a partir de transformações que acontecem na flor após ela ser fecundada. A fecundação da flor acontece da seguinte maneira: o pólen é produzido em uma parte mais exterior da planta chamada de antera, quando os grãos de pólen são liberados eles entram no ovário da flor, fecundando-a. Depois dessa fecundação a flor se transforma em fruto e semente. Esse encontro do pólen com o ovário pode acontecer na mesma flor, mas algumas flores possuem mecanismos para impedir que isso aconteça…

31/01/2017 iGUi Ecologia

Ao ver essas fotos dos lagos verdes, vermelhos e rosas podemos pensar que se trata de uma foto manipulada digitalmente ou que essas cores tão diferentes são resultado da ação do homem. Mas eles são reais e cada um tem uma particularidade que confere essa coloração diferente a eles. Normalmente a água do lago, do rio, da cachoeira ou da torneira, é sempre transparente, e a cor que nós vemos vai depender da quantidade de areia e outros microorganismos que não conseguimos ver e que acabam refletindo a luz do sol. Quando estamos longe da água, estamos vendo o sol…

27/01/2017 iGUi Ecologia

No Brasil são produzidos, em média, 78 milhões de toneladas de lixo por ano e apenas 3% são reciclados. O que acontece com o lixo depois que ele é recolhido na porta das nossas casas que é o grande problema. O lixo é levado para um terreno chamado de aterro sanitário ou lixão. Porém devido ao aumento da população, a quantidade de lixo também aumenta, e isso está fazendo com que não haja mais espaço para tanto lixo. Na natureza toda a matéria orgânica viva se decompõe rapidamente, porém com os materiais artificiais é diferente, alguns deles como pneus, vidro…

25/01/2017 iGUi Ecologia

Quando pensamos em árvores na cidade o primeiro pensamento pode ser relacionado aos estragos que as árvores podem causar, como árvores que caem devido a fortes temporais ou galhos de árvores atingindo a rede elétrica. Porém um fato indiscutível é o de que a arborização urbana contribui para a melhoria do aspecto estético de ruas e praças, e isso é apenas umas das vantagens de se ter uma cidade arborizada. Além da função paisagística, o sombreamento e o maior conforto térmico são os principais benefícios notados, principalmente por quem anda a pé. Além de evitar a insolação nas horas mais…

17/01/2017 iGUi Ecologia

Bioluminescência (do grego bios, “vida”, e do latim lumen, “luz”), “luz biológica” é a produção e emissão de luz por um organismo vivo. Trata-se de uma forma de ocorrência natural de quimioluminescência, em que a energia resultante de uma reação química é lançada sob a forma de emissão de luz. A bioluminescência ocorre em diversos grupos de organismos, desde vertebrados a invertebrados marinhos, assim como em microorganismos e animais terrestres. Os diferentes organismos bioluminescentes possuem diferentes tipos de luciferinas, proteínas, que usam em diferentes vias metabólicas para liberar luz. A bioluminescência marinha é produzida por componentes do fitoplâncton, principalmente dinoflagelados…

12/01/2017 iGUi Ecologia

  A caça de baleias em grande escala no Brasil começou depois da chegada dos portugueses, em 1602, data que foi expedida a primeira licença para caçar baleias no país. A primeira armação (instalação baleeira) foi montada em Itaparica, Salvador e depois várias armações foram sendo instaladas na Bahia e em outros estados: Rio de Janeiro, São Paulo,  Santa Catarina e Paraíba. Nos 2 séculos seguintes as baleias, principalmente as baleias – francas, foram exploradas sem nenhum tipo de controle, estima-se que no início, a média de baleias capturadas era de 3 ou 4 mil por ano e os principais…