05/04/2021 iGUi Ecologia 0Comment

No Brasil, a geração per capita de resíduos sólidos variam em torno de 1,0 kg/habitante/dia, onde 53 %, em média, é representado por matéria orgânica. A decomposição desse material orgânico gera um líquido escuro e de odor desagradável, conhecido como chorume, que possui elevadas concentrações de sólidos suspensos e metais pesados originados da degradação de substâncias metabolizadas, tais como os carboidratos, proteínas e gorduras.

A composição do chorume é muito variável e depende das condições pluviométricas locais, do tempo de disposição dos resíduos sólidos no solo e das características desses resíduos. Por apresentar substâncias altamente solúveis, esse líquido pode contaminar águas superficiais e, caso haja infiltração no solo, há a possibilidade de contaminação de águas subterrâneas próximas aos locais de sua formação, comprometendo a qualidade e utilização dessas águas.

Nesse sentido, o aluno Daniel Ramos dos Santos, sob a coordenação Prof.a Dra. Rita de Cascia Avelino Suassuna, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) – Campus Jorge Amado – Itabuna (BA), no laboratório multidiscisplinar do Centro de Formação em Tecno-Ciências e Inovação (CFTCI) estão realizando, sob financiamento da iGUi Ecologia, um trabalho que tem como objetivo realizar análises fisico-químicas da água em trechos do rio Pancadinha, localizado próximo ao lixão da cidade de Almadina – Bahia, a fim de identificar possíveis alterações na qualidade de suas águas, especificamente provocadas pelo chorume oriundo do lixão da cidade.

Os resultados obtidos serão encaminhados para a Prefeitura Municipal de Almadina, a fim de subsidiar nas políticas públicas de conservação dos recursos hídricos.

Fiquem de olho….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *