27/11/2020 iGUi Ecologia 0Comment

A corujinha-do-mato (Megascops choliba), é uma espécie de coruja muito comum no Brasil, encontrada em florestas e mesmo em áreas urbanas arborizadas. É um animal noturno, visto que no Brasil somente a coruja buraqueira é diurna! Alimenta-se de insetos, ficando próximas aos postes de iluminação para que seja possível capturar esses animais atraídos pela luz. Mas alguns pequenos roedores também fazem parte da sua dieta.

Ela é menor do que a coruja-buraqueira, podendo chegar até 30cm (machos) e 28cm (fêmea), e pesar até 169g (macho) e 196g (fêmea). Um detalhe bem peculiar desta ave são as duas “orelhas” na cabeça, que na verdade são penas. As penas têm como característica uma coloração que se assemelha muito a um tronco de árvore.

As corujas conseguem voar sem fazer barulho e a corujinha-do-mato também. Isso é uma técnica utilizada para que a presa não consiga escutar o predador, no caso a coruja, chegar.

Seu período reprodutivo é de setembro a outubro, sendo que a fêmea coloca 3 a 7 ovos que são chocados por ela durante 26 dias. Neste período o macho fica responsável pela alimentação da companheira e, depois do nascimento, de toda a família.

O centro de reabilitação do Instituto BW, patrocinado pela iGUi Ecologia, está cuidando de um filhote de corujinha-do-mato, como vocês podem ver pelas fotos. Além disso, tem outra coruja da mesma espécie em tratamento, ela teve que ser submetida a uma cirurgia ortopédica pois estava com a asa quebrada. Ela passa bem e depois que o pino foi removido, os profissionais vão iniciar as sessões de fisioterapia. Vamos torcer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *