05/02/2019 iGUi Ecologia 0Comment

 

A maior ilha fluvial do planeta está localizada no Brasil, mais especificamente na região oeste do Tocantins, na divisa com os estados de Goiás e Mato Grosso, abrangendo os municípios de Lagoa da Confusão, Pium, Formoso do Araguaia, Caseara e Marianápolis do Tocantins. A ilha do Bananal tem 270 km de comprimento e 80 km de largura com uma área de aproximadamente 25.000 km² e é banhada pelos rios Araguaia e Javaé. Descoberta em 26 de julho de 1773 pelo sertanista José Pinto Fonseca, a ilha recebe inicialmente o nome de “Ilha Sant’Ana”. Posteriormente, passa a se chamar apenas Bananal, em razão da existência de extensos bananais silvestres.

A ilha é considerada um dos santuários ecológicos mais importantes do país por estar na faixa de transição entre a Floresta Amazônica e o cerrado, apresentando, assim, fauna e flora bastante diversificadas. A fauna tem espécies comuns ao Pantanal Mato-Grossense, como onça-pintada, boto, uirapuru, garça-azul e tartaruga-da-amazônia, entre outros. Na flora destacam-se vários gêneros de orquídeas terrestres e árvores como maçaranduba, piaçava e canjerana. Na região predominam os campos, conhecidos na região pelo nome de varjões. Aparecem ainda o cerrado, a mata seca de transição, as matas ciliares de igapó, vegetação das encostas secas e de bancos de areia.

Desde antes da descoberta do Brasil, Bananal é habitada por índios. Atualmente, existem alguns grupos indígenas presentes nas aldeias da ilha, especialmente das etnias Karajá-Javaé, Avá-Canoeiro e Tapirapé, que ocupam a Terra Indígena Parque do Araguaia e a Terra Indígena Inãwébohona. No interior da “Mata do Mamão”, imensa floresta localizada no centro-norte da ilha, existe um pequeno grupo de Avá-Canoeiros que rejeitam qualquer tipo de contato com a civilização, inclusive com os indígenas das aldeias mais próximas. Esse é o único grupo de índios que até hoje permanece isolado da civilização no Tocantins.

Na ilha do Bananal predomina o clima tropical quente e semiúmido, com temperatura máxima de 38°C e mínima de 22°C em julho. Duas estações são nitidamente marcadas na ilha, o verão que vai de novembro a abril, em que predominam as chuvas, e o inverno que vai de maio a outubro onde ocorre o período da seca. A ilha é visitada por turistas principalmente para realizar pesca esportiva e ecoturismo.

Preserve o meio ambiente! Se forem visitar a ilha, façam um turismo ecologicamente correto…. a natureza agradece!!