20/05/2019 iGUi Ecologia 0Comment

Com tantas notícias sobre enchentes nos últimos dias, vamos esclarecer um pouquinho esse grande impacto ambiental. Como vocês estão vendo, o principal afetado é o homem!

Segundo a Agência Nacional de Águas, existe um prejuízo de R$ 9 bilhões por ano com desastres naturais do tipo de inundações e enchentes, em 4 anos, 55,7 milhões de brasileiros já foram afetados por esses desastres.

As inundações e enchentes são causadas por diversos fatores. O primeiro deles está relacionado às fortes chuvas em uma região, muitas vezes causada por um evento extremo. Estes eventos são aqueles que ultrapassam a média do esperado, acarretando uma chuva volumosa numa mesma área. Grande parte destes eventos não são previstos, o que pega a população afetada “de surpresa”. Neste ano, já vimos muitos desastres nos estados brasileiros afetados pelas quantidades de chuva maiores que o esperado. Mas será que a culpa é sempre da chuva? de olho nas enchentes

A principal causa das enchentes e inundações estão em 2 problemas urbanos: a impermeabilização do solo nas cidades, que nada mais é que a eliminação de áreas de escoamento da água (como bosques, áreas verdes, jardins…) e o entupimento das vias de drenagem com lixo!!! Mais uma vez o nosso maior vilão aparece causando grande impacto!!
Você sabe a diferença entre enchente e inundação? Vamos lá: a inundação é quando um rio transborda, seja por causa natural, como as grandes chuvas, ou causada pela aceleração antrópica como o assoreamento do rio, a retirada da mata ciliar e até mesmo processos de erosão. Já as enchentes são sempre causadas pela ação do homem. Nesse caso são as ruas alagadas que sempre vemos por aí nas notícias. Uma boca de lobo entupida já é suficiente para causar uma enchente! Basta vir uma chuvinha e pronto!

Agora que você já sabe a diferença entre enchente e inundação vou repetir a pergunta: A culpa é sempre da chuva? Infelizmente não, geralmente o que acontece nas cidades brasileiras é a enchente, ou seja, uma ação causada pelo homem que gera esse grande impacto negativo para o meio ambiente e para a população. Esse vídeo vai ajudar a visualizar as diferenças, não deixe de acessar o link:

Outro problema que agrava a situação das enchentes é o escoamento das águas por meio da rede drenagem. Aqui temos outro detalhe bem importante em relação as enchentes, você sabe a diferença entre rede de drenagem e rede de esgoto? Primeiramente, são duas redes de captação diferentes e com destinos diferentes!!! Muitas vezes essas duas redes de captação são interligadas de uma maneira clandestina, o que é um grande problema.

O material recolhido pela rede coletora de esgotos é encaminhado à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), onde esse material é devidamente tratado e devolvido à natureza. Já a água da chuva, coletada nas redes de drenagem, é conduzida para rios, lagoas ou mares, sem nenhum tipo de tratamento. Caso as redes estejam interligadas clandestinamente, os problemas associados à utilização equivocada das redes se agrava muito quando chove.
O lançamento indevido da água da chuva na rede coletora de esgotos, além de diluir o esgoto (aumentando a quantidade de material que a ETE precisará tratar), pode ocasionar extravasamentos e até retorno de esgoto às residências. Já as ligações de esgoto, realizadas clandestinamente nas redes de drenagem pluviais, provocam danos graves ao meio ambiente, podendo levar à morte diferentes espécies que entram em contato com o material, ou causar diversas doenças, como leptospirose, cólera, hepatite e difteria ao homem.

As bocas de lobo, que geralmente têm um formato retangular e situam-se paralelas aos calçamentos de ruas, pertencem à rede de drenagem pluvial. Os poços de visita de drenagem localizam-se no centro das ruas, enquanto os da rede de esgoto ficam mais próximos ao calçamento. Neste vídeo você pode entender melhor o que falamos:

Agora que você sabe a diferença entre a rede coletora de esgoto e a rede de drenagem pluvial, que tal por em prática e, realmente, ter as ligações corretas para ajudar a manter o nosso meio ambiente limpo e sem impactos?
Aqui vão algumas dicas para evitar a obstrução da rede de esgoto ou rede de drenagem:

  1. não jogar lixo no vaso sanitário ou nas caixas de esgoto (resto de comida, papel, absorventes, preservativos, cabelo, plástico, etc);
  2. limpar periodicamente a caixa de gordura da sua casa;
  3. não fazer ligação na rede de esgoto para escoar água de chuvas;
  4. não descartar óleo de cozinha nem borra de café na pia, pois esses materiais entopem a rede e poluem o meio ambiente;
  5. a água da chuva, proveniente de telhados, calhas e ralos, devem ser direcionados para a rede de drenagem pluvial e não para a rede de esgoto;
  6. no caso da rede pluvial, os moradores devem evitar o acúmulo irregular de lixo nas calçadas e vias públicas, pois com a chuva, o material irá obstruir a passagem da água ocasionando alagamentos.

A melhor maneira para compreender melhor o que acontece com o meio ambiente nesses desastres é procurar entender o que gerou esse resultado, e a partir daí fazer a mudança necessária para não sofrer nenhuma consequência negativa de um desastre. Vamos ser mais responsáveis. Caso saiba de alguém que está em situação de risco por alagamento, inundação ou enchente entre em contato imediatamente com a DEFESA CIVIL pelo 199!