16/05/2019 iGUi Ecologia 0Comment

O plástico está presente em toda a nossa vida, desde a embalagem de alimentos que compramos até os computadores com os quais trabalhamos e os carros que dirigimos. Mas grande parte do plástico que usamos no dia a dia são usados apenas uma vez e jogados fora. Muitos desses plásticos têm seu destino final nos oceanos que, em apenas alguns anos, podemos comparar um quilo de plástico para cada três quilos de peixe no mar. Mas o futuro dos plásticos em nossos oceanos será determinado pela forma como lidamos com plásticos em terra. No Brasil, ao longo de 8.500 km de costa, existem por volta de 270 municípios costeiros, esses números ilustram o tamanho do desafio do combate ao lixo no mar.

O Projeto MARPLAST, resultado de convênio entre a Plastivida e o Laboratório de Manejo, Ecologia e Conservação Marinha (IOUSP) destaca que 90% do lixo monitorado em praias e restingas do litoral brasileiro são constituídos por resíduos plásticos. Os itens mais abundantes são:

  • tampas de garrafas e tampas em geral;
  • garrafas;
  • embalagens de comida;
  • sacolas plásticas;
  • cigarros, filtros ou bitucas;
  • erivados de cordas e cabos;
  • cordas e cabos (menores que 1 metro);
  • hastes flexíveis;
  • fragmentos não identificados;
  • esponjas, espumas, espumas vinílicas acetinadas – EVAs;
  • copos e embalagens de isopor;
  • boias de isopor e fragmentos;
  • fragmentos de isopor.

Em 2017 o combate ao lixo no mar foi incorporado como meta no Ministério do Meio Ambiente (MMA), com a participação do ministério na Conferência das Nações Unidas sobre Oceanos, realizada em junho, na qual o governo brasileiro assumiu o compromisso voluntário de desenvolver uma “Estratégia Nacional de Combate ao Lixo no Mar”. O Compromisso estabeleceu quatro objetivos:

  • Realização do 1º Seminário Nacional para Combate do Lixo no Mar;
  • Lançamento da publicação “Lixo no Mar”, de autoria do Prof. Dr. Alexander Turra do Instituto Oceanográfico da USP com participação da Coordenação-Geral de Gerenciamento Costeiro/MMA (CGERCO);
  • Desenvolvimento da Campanha Institucional: vídeo “Um Mar de Ameaças”;
  • Formulação e Lançamento do 1º Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar.

O lixo no mar trata-se de um problema complexo, que demanda uma nova postura de todos os setores da sociedade na execução de ações que sejam ao mesmo tempo desafiadoras, pragmáticas e viáveis.