13/05/2019 iGUi Ecologia 0Comment

Há algum tempo atrás falamos um pouco sobre água de reuso, alguém aqui já ouviu falar sobre o tema? Hoje vamos nos aprofundar um pouco mais nesse assunto, já que ele é muito importante para uma vida mais ecológica. Se quiser ver a matéria anterior é só clicar no link: https://www.iguiecologia.com/agua-de-reuso/. Agora vamos lá!

Você sabe a diferença entre água de reuso e aproveitamento de água da chuva? Não se preocupe, aqui vou deixar a definição pra você entender melhor:
Água de reuso é toda água que já serviu para o desenvolvimento de uma atividade humana e que será usada novamente, tornando assim a água residuária em água de reuso, porém um detalhe importante é que esta reutilização precisa de um tratamento para ser reutilizada. Já a água da chuva é toda água que age como um solvente universal, e o que é isso? A água da chuva, muitas vezes, está contabilizada também no esgoto, uma vez que é muito comum essa água passar pelos telhados, pisos e ir parar nos famosos “bueiros” ou bocas de lobo. Esta água é considerada como um solvente (limpador) universal porque carrega todo tipo de impureza dissolvida em sua composição. Porém, se a captação da água da chuva for feita em áreas de acesso restrito antes desse caminho, ela pode ser aproveitada para muitos fins, contribuindo positivamente nos casos de escassez de água.

Mas podemos reutilizar a água da chuva como água potável? Não, infelizmente a água da chuva não é considerada potável por conta da existência de algumas substancias contaminantes na atmosfera! Essas substâncias estão presentes principalmente nos centros urbanos e nas cidades industriais e contaminam a água que cai com a chuva. Entretanto, mesmo em cidades afastadas dos centros urbanos e de cidades industriais, o ar pode estar contaminado. Mas por que? Porque além dos poluentes se deslocarem por longas distâncias, a água da chuva formada nos campos ou no litoral, podem ter excesso de cálcio, potássio e sódio, respectivamente. Ou seja, em seu estado original, a água de chuva não é recomendada para consumo, pois pode trazer alguns malefícios para a saúde. Então como vamos reutilizar a água da chuva? Nem tudo está perdido! É só fazermos algumas adaptações e pronto, podemos utilizá-la sem medo.

Primeira coisa a se fazer é ter em casa um sistema de captação de água, ou seja, uma cisterna ou algibe. Que é um reservatório, onde a água da chuva vai ser armazenada para o uso doméstico geral. Você sabia que utilizando essas cisternas você pode ter economia de até 50% na conta de água? Além de ajudar o meio ambiente você vai economizar nos gastos!

O uso de cisternas é considerado uma das melhores e mais eficazes alternativas quando o assunto é economizar água, e elas estão disponíveis em vários modelos, formatos e tamanhos, podendo ser instaladas em casas, apartamentos e condomínios. Mas como funcionam: a água da chuva é levada pelas calhas a um filtro, que eliminará mecanicamente impurezas, como folhas ou pedaços de galhos. Um freio d’água impede que a entrada de água na cisterna agite seu conteúdo e suspenda partículas sólidas depositadas no fundo. Por enquanto não é adequada para consumo humano, mas aqui já pode ser usada nas tarefas domésticas que mais consomem água, como lavar a calçada, o carro e até no vaso sanitário. Geralmente, as cisternas de maior porte em geral são enterradas para evitar a incidência de luz solar e, por conseguinte, a proliferação de algas e outros micro-organismos.

Após a captação da água devemos realizar o tratamento, para torná-la adequada ao consumo. E como fazemos isso? Aí vão algumas dicas: todo processo para que a água se torne potável passa pelas seguintes etapas: filtragem, desinfecção e a cloração.

Os processos de filtragem adotados vão depender muito do estado inicial da água e visam as qualidades organolépticas, ou seja, aquelas perceptíveis pelos sentidos humanos (cor, cheiro, sabor, brilho, etc). No final desse estágio, a água já tem o aspecto de potável, mas ainda contém alguns elementos prejudiciais a nossa saúde, então entra a outra etapa do processo, a desinfecção, que é a etapa mais sensível e deve ser avaliada por um profissional especializado para determinar qual o tipo de desinfecção a ser utilizada, pois eles podem ser: utilização do cloro ou do ozônio ou do ultravioleta. É muito comum ouvir dizer que clorar a água com água sanitária, repousar e depois fervê-la torna a água possível de ser consumida, mas esta possibilidade deve ser feita somente em extrema necessidade, caso contrário é melhor seguir essas dicas para a cisterna. Aqui já temos a água prontinha para o uso do consumo humano!!

O que você achou desse processo de reuso de água? Vamos refletir sobre isso? Se você decidir adquirir uma cisterna em casa para receber todos esses benefícios é muito importante ter o auxílio de profissionais, pois na internet existem muitas dicas equivocadas. Já pensou como seria se todos reutilizássemos o que a natureza nos fornece?
Vamos todos rumo a uma vida mais ecológica!!

Neste vídeo você aprende a fazer uma mini-cisterna: