04/04/2022 iGUi Ecologia 0Comment

A frota global de veículos leves (LDVs) é estimada para pelo menos dobrar até 2050. Mais de 90 por cento desse crescimento ocorrerá em países não membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE – uma organização internacional que trabalha para construir melhores políticas para uma vida melhor). E o Brasil está nessa lista!!

Em 2018, foram vendidos cerca de 86 milhões de novos veículos leves (em geral não excedem um peso bruto de 3,5 toneladas, e incluem carros de passeio, utilitários esportivos e microônibus), a maioria em países desenvolvidos. A importação de veículos usados difere por país e região. Alguns países proibiram completamente a importação de veículos usados, enquanto outros têm veículos usados representando mais de 90% do crescimento de veículos.

A frota global de veículos é um dos principais contribuintes para a poluição do ar e para as mudanças climáticas. As emissões dos veículos são uma das principais fontes de partículas pequenas (PM2,5) e óxidos de nitrogênio (NOx) que, entre outros, são as principais fontes de poluição do ar urbano.

A recente pandemia de COVID-19 mostrou que quando houve uma diminuição da circulação de veículos no mundo todo, a qualidade do ar melhorou significativamente, especialmente nas cidades. A frota global de veículos é responsável por cerca de um quarto das emissões globais de gases de efeito estufa relacionadas à energia e isso deve aumentar para um terço até 2050.

Para resolver esses problemas, países e cidades estão adotando cada vez mais políticas e estabelecendo metas para reduzir as emissões de suas frotas de veículos. Eles usam um conjunto de medidas para isso – incluindo melhor planejamento urbano, priorizando o transporte não motorizado, promoção do transporte público e veículos mais limpos. Veículos mais limpos e eficientes podem dar uma contribuição fundamental para um setor de transporte com baixas emissões.

A demanda por mobilidade está crescendo em economias de baixa e média renda, mas nota-se que tanto os mercados desenvolvidos quanto os em desenvolvimento têm uma alta demanda por veículos usados.

Embora as vendas futuras de veículos ocorram principalmente em países em desenvolvimento, é importante observar que a compra de veículos usados ​​não é específica para países em desenvolvimento. Por exemplo, na União Europeia (EU) mais veículos usados ​​são vendidos internamente do que exportados para países em desenvolvimento fora da UE. Os principais fatores que impulsionam o comércio global de veículos usados ​​incluem:

●● Veículos usados ​​oferecem uma mobilidade aos consumidores, com um baixo custo. Isso faz com que a regulamentação seja mais rigorosa assim como a fiscalização.

●● As inspeções de veículos motorizados, juntamente com os registros e impostos rodoviários tornam a substituição de veículos mais frequente em mercados desenvolvidos. Isso pode resultar na exportação de veículos quebrados e fora de estrada (veículos que não passam na inspeção são enviados para mercados de países em desenvolvimento), mas também pode tornar a tecnologia mais avançada (incluindo veículos elétricos e híbridos elétricos) acessível a países em desenvolvimento.

●● O descarte responsável de veículos usados ​​pode ser caro devido às rígidas regulamentações de proteção ambiental nos mercados de origem. Isso pode tornar a exportação de veículos usados, incluindo veículos obsoletos, para mercados em desenvolvimento mais atraente e lucrativa.

Quais são os destinos dos carros usados na sua cidade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *