15/05/2020 iGUi Ecologia 0Comment

Quem poderia imaginar que um animal bem pequeno, como as abelhas, poderia ser fundamental para a maior e mais pesada ave de rapina do mundo, com envergadura de 2,5 metros, pesando até 12 quilos! E são!

Uma história interessante que aconteceu em um cativeiro localizado em Belo Horizonte, no qual recebeu de volta uma harpia (harpia harpyja), proveniente de um criadouro da Alemanha, que foi diagnosticada com problemas respiratórios. Porém depois de um mês após o seu retorno o padrão respiratório melhorou muito, mas o que chamou a atenção foi a presença de abelhas no orifício respiratório. Observou-se que os insetos retiravam as secreções acumuladas no trato respiratório. Tal melhora foi muito evidente que o animal conseguiu reproduzir-se naquele mesmo ano.

Os insetos que ajudaram a ave foi uma espécie de abelha sem ferrão, Paratrigona lineata, conhecida popularmente como Jatai-da-terra que foram identificadas, por meio de fotografia, na região das narinas da harpia. Esse relato está descrito no artigo no qual você pode fazer o download aqui (VISITA-DE-ABELHAS-A-NARINAS-DE-AVES-DE-RAPINA-1).

Essa ajuda mútua não acontece somente com a harpia, mas também com outras espécies de aves de rapina das famílias Accipitridae (que inclui a maioria das espécies de aves de rapina diurnas, como águias, gaviões, búteos e abutres) e Strigidae (como as corujas) em cativeiro e no campo.

Até na natureza os animais se ajudam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *