02/07/2021 iGUi Ecologia 0Comment

Estamos há 3 meses com um tamanduá-mirim em tratamento no centro de reabilitação e um dos tratamentos que utilizamos para a cicatrização da sua extensa ferida foi a utilização de açúcar cristal. E, ele melhorou muito depois disso!

Mas você deve estar se perguntando se eu não estou ficando doida por utilizar açúcar na ferida? Não, essa técnica era utilizada por cirurgiões egípcios, que já tratavam feridas com mel e unguento no ano 1700 a.C., segundo relatos. Mas a prática vinha sendo utilizada sem uma comprovação científica até o Dr. Moses Murandu, da Universidade de Wolverhampton, no Reino Unido, obteve seu doutorado neste tema.

Desde a infância no Zimbábue, ele lembra que o açúcar era utilizado em seus próprios ferimentos e no Reino Unido essa técnica era desconhecida. Deste modo, começou seus estudos e se tornou professor sênior de enfermagem de adultos na Faculdade de Educação, Saúde e Bem-estar da universidade, fazendo o uso dessas substâncias nos pacientes.

Mas como funciona? A explicação é simples, o açúcar absorve a umidade do local, o que favorece a proliferação de bactérias, sendo que o ideal é o açúcar cristal, pois possuem grãos maiores que se dissolvem lentamente.

Em março de 2017, Dr. Moses Murandu ganhou o prêmio de Melhor Pesquisa de um País em Desenvolvimento no Journal of Wound Care Awards e ficou em terceiro lugar na categoria de Bem-estar do Paciente.

Mas lembre-se que é sempre recomendável o acompanhamento de um médico para os humanos e um veterinário para os animais!

Quer ler a tese dele? CLIQUE AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *