12/08/2019 iGUi Ecologia 0Comment

Localizada no estado da Bahia, a Chapada Diamantina é verdadeiro oásis úmido em plena região seca, possui um território de 84.360 km2, onde possuem as mais belas paisagens, serras e montanhas, rodeadas de quilômetros de rios, vales, cascatas, cachoeiras, grutas e matas ainda intocadas! Foto Antiga do Garimpo Chapada Diamanetina

Os municípios (Lençóis Palmeiras, Iraquara, Andaraí, Mucugê, Rio de Contas e Morro do Chapéu), localizados na região central da Bahia, têm a sua história relacionada a momentos importantes fatos nacionais, como a exploração do garimpo nos séculos XVII, XVIII e XIX.

Quando descoberta, esta região era habitada somente por indígenas que viviam no local com muita harmonia e respeito a natureza. Com muitas preciosidades, o local começou a ser desbravado e ser explorado por causa das minas de ouro e diamantes do local.

Exploração na Chapada DiamantinaDevido à exploração inadequada e exacerbada da região, por mais ou menos três séculos, as serras hoje possuem pouco minério, o que causou um desaparecimento dos garimpeiros do local. Grande parte da região só parou de ser explorada a partir do ano de 1985, quando o então presidente do Brasil, “José Sarney” assinou o decreto 91.655, criando o Parque Nacional da Chapada Diamantina. E, só a partir da criação do parque que a região começou a se livrar da ação predatória do homem. Infelizmente o parque compreende apenas uma parcela do território da Chapada, em torno de 152 mil hectares fazem parte dele. Mas a criação do Parque Nacional possibilitou a preservação de fauna e flora inexistentes em outras regiões do país, que sofreram muito por queimadas, desmatamentos, caça ilegal e coleta em larga escala de minérios e plantas.

Parque Nacional da Chapada Diamantina

Atualmente ainda é necessário explicar para os morados sobre como os nossos atos contribuem para a destruição da vegetação e desaparecimento de espécies, pois ainda é possível ver incêndios, pratica de caça e exploração de plantas locais. Hoje, os principais meios de sobrevivência da região são turismo e as pequenas agriculturas.

Para chegar lá a partir de Salvador existem 3 opções: carro, ônibus ou avião. A opção de carro ou ônibus acabam saindo um pouco mais em conta, comparado com a opção de avião, pois o aeroporto mais próximo é na cidade de Lençóis e as passagens são mais altas devido aos poucos horários e pela rota específica. Ao chegar na chapada o deslocamento pode ser feito: a pé ( existem trilhas que são feitas apenas em horas, assim como aquelas que levam de 3 a 7 dias, com paradas para dormir em meio a mata), ou se preferir pode se deslocar de moto taxi, taxi e carros de aplicativos. O deslocamento é bem tranqüilo de se fazer em qualquer uma das situações.

Cachoeira no Parque da Chapada DiamantinaPor onde começar o passeio: chegando na região você pode ir a uma agência de turismo e optar pelo acompanhamento de um guia, geralmente eles proporcionam a melhor experiência de acordo com o que você procura. Mas vou deixar alguns nomes de locais que você pode se interessar: Cachoeira do Riachinho; Cachoeira da Fumaça; Gruta do Lapão e Gruta Azul; Poço encantado: poço dentro de uma gruta com águas azuis. Espetacular entre abril e maio. O espetáculo é maior quando um facho de luz entra por uma fenda e o teto da gruta fica azul; Pratinha; Conceição dos gatos; Morro do Pai Inácio; Cachoeira do Vale do Paty; Cachoeira da Purificação e Angélica. Esses são apenas alguns pontos a serem visitados, existem muito mais…
Se você está procurando se conectar à natureza, este é um lugar apropriado para isso, vale a pena ir e conferir. Como as jazidas se esgotaram há muito tempo, você não encontrará pepitas de ouro ou diamantes, mas o tesouro à sua espera é a própria Chapada Diamantina! Permita-se viver essa experiência!