03/04/2020 iGUi Ecologia 0Comment

Na região da sede da iGUi ecologia também encontramos a Fragata ou Tesourão. Resolvi falar dela hoje pois recentemente duas estavam brigando por um peixe e o deixaram cair em uma de nossas piscinas, imaginem o susto na hora!!!

Pois bem, a fragata ou tesourão (Fregata magnificens) é uma ave Suliforme da família Fregatidae. Seu nome científico significa fragata majestosa ou fragata magnífica e por possuir a cauda em formato de “V” também é chamada de tesourão.

É uma espécie de ave marinha com uma ampla distribuição, pelo Atlântico, nas América do Sul e Central e no Pacífico, da Colômbia ao Peru; no Brasil são encontradas colônias em Fernando de Noronha, Atol das Rocas, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. As fragatas não descansam e nem mergulham na água, alimenta-se de peixes capturados na superfície com o bico (em formato de gancho) em voos rasantes, mas também roubam peixes de outras aves, como por exemplo os atobás, principalmente dos atobás juvenis.

Olhando para a foto pensamos que a ave é enorme, mas não! Ela apresenta uma grande envergadura da asa, mais de 2 metros de comprimento, mas o corpo é pequeno, chegando a pesar aproximadamente apenas 1,5kg.

O macho adulto é todo preto e apresenta um saco gular vermelho (parece um papo), que no período reprodutivo ele fica bastante evidente e cheio de ar, mas fora desse período ele parece uma bexiga murcha. As fêmeas têm a cabeça de coloração escura e o peito branco. Os juvenis, tanto machos e fêmeas, possuem a cabeça branca. Os filhotes têm as penugens totalmente brancas.

Os ninhos são construídos sobre arbustos e árvores, sendo finalizado com acúmulo de fezes das aves, no qual muitos pesquisadores relatam que as fezes possuem um papel de cimento na construção do ninho.

Aqui no Rio de Janeiro elas parecem dançar na ponte Rio-Niterói, porém ocorre um problema muito grave com essas aves. As linhas de pipa com cerol (mistura de cola de sapateiro com vidro moído que é aplicada em linhas de pipa, ou papagaios, para cortar as linhas do outro) interagem com o animal fazendo com que ocorra uma lesão tão profunda que atinge o tendão causando a ruptura. Se o animal não tiver tratamento veterinário adequado (cirurgia) e rápido, ele ficará impossibilitado de retornar a natureza.

A pessoa flagrada utilizando o cerol em sua linha poderá ser encaminhado para a delegacia, juntamente com os pais (caso seja menor de idade), para ser lavrado o ato infracional, baseado no artigo 132 do Código Penal , que discorre sobre o ato de colocar a vida de outra pessoa em perigo.

Olhem para o céu e contemplem essas aves majestosas!!!