03/01/2020 iGUi Ecologia 0Comment

A partir de 1º de janeiro de 2020, o arquipélago de Palau, localizado no Oceano Pacífico, se tornou o primeiro país a banir os protetores solares que são cientificamente comprovados prejudiciais ao meio ambiente.

Palau é conhecido por suas belezas naturais localizadas principalmente submersas. As Rock Islands localizada nas Ilhas Chelbacheb, são um conjunto de corais considerados patrimônio da Unesco. Sua população é estimada em 20 mil pessoas, mas o fluxo de turistas é muito intenso fazendo com que a ilha receba quase 6 vezes mais do que sua população.

Os protetores solares que afetam o meio ambiente são aqueles que corais possuem em sua composição os seguintes componentes: oxybenzona (benzofenona-3), etilparabeno, octinoxato (metoxicinamato de octila), butilparabeno, octocrileno, metilbenzilideno cânfora, benzilparabeno, triclosano, metilparabeno e phenoxyethanol.

Mas onde está o problema? Ele acontece quando os banhistas entram no mar. As substâncias encontradas nos protetores solares são liberadas na água e absorvidas pelos corais fazendo com que eles morram ou fiquem fragilizados. E, se os corais morrem, outras espécies que são dependentes deles também são afetadas ocasionando um ciclo prejudicial para todo o ecossistema.

O Havaí, nos Estados Unidos, também anunciou um veto similar, para 2021 e grandes marcas de filtro solar estão se apressando para dizer que seus produtos são “seguros para barreiras de corais”.

Verifique o seu protetor solar! Na hora de comprar utilize aquele que não tenha os produtos químicos citados acima! A natureza agradece!